Curso “As Interfaces da Psicomotricidade – com Fátima Alves e Marcelo Korfebol

curso-fatima-alves-2

Descrição do evento

Curso 2017 – Piratininga/Niterói – Rio de Janeiro

As Interfaces da Psicomotricidade – com Fátima Alves / Marcelo Korfebol
Com certificado 4 horas.
Sobre o Curso:
Já que a Psicomotricidade visa contribuir de forma pedagógica para o desenvolvimento integral do aluno, no seu processo ensino-aprendizagem e que tem a intenção de viabilizar o aspecto mental, psicológico, social, cultural e físico, faz-se necessário entender que através de atividades psicomotoras, conseguimos auxiliar no processo ensino-aprendizagem desse aluno.
Objetivos do Curso.
  1. Demonstrar e analisar a importância da Psicomotricidade através de atividades psicomotoras como auxílio na aprendizagem do aluno.


Aprender não se restringe apenas em atividades isoladas, cada uma delas tem o seu objetivo e levam o aluno a criar, se expressar no ambiente escolar e no seu dia a dia.
 
Não podemos esquecer que a Psicomotricidade é a ciência que busca entender os movimentos corporais almejando o desenvolvimento corpóreo/cognitivo, possibilitando as ações e a construção corporal e suas expressões, ampliando as relações sociais e ajudando nos desenvolvimentos corporais, cognitivo e afetivo do aluno.
 
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
 
 
  1. Teorias e conceitos sobre a psicomotricidade
  2. Definições e contribuições de Wallon e Piaget
  3. Os aspectos trabalhados na Psicomotricidade
  4. Desenvolvimento Psicomotor da criança
  5. Desenvolvimento de atividades psicomotoras
  6. Atividades Psicomotoras
  7. Referências Bibliográficas


PÚBLICO ALVO
 
  1. Educadores Rede Pública e Privada
  2. Profissionais da Educação
  3. Pedagogos
  4. Pais
  5. Psicólogos
  6. Educadores Físicos
  7. Fisioterapeutas
  8. Terapeutas Ocupacionais
  9. Fonoaudiólogos
  10. Demais áreas da Educação e Saúde.

TORNEIO DE KORFEBOL BRASILEIRO – INSTITUTO GEREMÁRIO DANTAS

photo

Dia 28 de novembro Segunda Feira o Korfebol Brasileiro, através de seu principal divulgador o Professor Marcelo Soares, mais conhecido como Marcelo Korfebol estará realizando torneio de Korfebol, cerca de 12 equipes irão participar do evento. Confiram as fotos. Agradecimento especial a professora Sheila Duarte Bandeira.

15181460_1255008671241183_6426911854888421788_n-vert

 

Blog do Korfebol Brasileiro chega a 100.ooo visitantes – Confiram

12011183_1501937470127537_4582299042256424583_n

Ola amigos da fã page do Korfebol Brasileiro quero deixar registrado aqui meus agradecimentos a todos que visitam o nosso Blog.

http://www.korfeblog.blogspot.com

E dizer que, para mim é uma satisfação poder contribuir para Educação Física Escolar e também para o Korfebol Brasileiro, criando novas formas de jogar, não temos a competição como principal objetivo, nem queremos formar “atletas”.

Sabemos que não devemos agradar a todos mas temos plena convicção que estamos no caminho certo, caso contrário não chegaríamos a essa expressiva marca de 100.000 visitantes, o que muito nos motiva a continuar nessa missão.

Um forte abraço a todos,  visitem sempre que possível a nossa página no Facebook, nossa conta no Google+ e sigam nos.

Quem compartilha os nossos posts esta também nos ajudando a divulgar o Korfebol Brasileiro.

Tem que querer

Marcelo Soares

blog-do-korfebol

 

 

III ENCONTRO EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR – COL. PEDRO II

Reencontrando grandes profissionais da Educação Física Brasileira e que conhecem muito bem o trabalho realizado pelo Professor Marcelo Soares mais conhecido como Marcelo do Korfebol.

No dia 22 de outubro de 2016 o KORFEBOL BRASILEIRO esteve participando do III Encontro de Educação Física Escolar, aproveitando para comemorar os 16 anos do KORFEBOL NO BRASIL. Estivemos realizando a oficina para cerca de 50 professores e estudantes de Educação Física, que puderam vivenciar algumas formas de se jogar o Korfebol Brasileiro

22/10/2016 – 16 ANOS DE KORFEBOL BRASILEIRO

korfebol-1

DIA 22 DE OUTUBRO
KORFEBOL BRASILEIRO 16 ANOS

Agradeço todos os dias a DEUS por esses 16 anos de prática de Korfebol Brasileiro sem ele não teríamos conseguido nada…

Hoje, neste dia 22/10.2016 completamos 16 anos de trabalho com o Korfebol brasileiro. que até 2012, estávamos trabalhando em parceria com Federação Internacional de Korfball, mas por motivos de divergência, resolvemos nos separar e criar o KORFEBOL BRASILEIRO com novas regras, novas maneiras de se jogar, mantendo a essência do jogo cooperativo e não do jogo competitivo que exclui e que forma somente “atletas”.

E, parece que foi ontem que começamos..no esporte Clube Valim do bairro do Méier

Sempre contei com a ajuda dos muitos amigos que me apoiaram na hora em que mais precisei. Amigos esses que ja se foram, amigos que nunca jogaram mas que sempre estão por perto, amigos que carregaram os postes, bases, ferros, nos levaram a emissoras de tv, amigos famosos, amigos não famosos, crianças, adultos, terceira idade, amigos com deficiência, amigos do sistema penitenciário que muito nos ensinaram e aprenderam com o Korfebol brasileiro

São muitas as alegrias nestes 16 anos, também experiências positivas e também porque não dizer negativas mas que nos motivam a continuar na missão e aprender com o erro e nos reinventarmos.

Aliás, só tenho a agradecer a vocês – por tudo que tem acontecido em minha vida e o do KORFEBOL BRASILEIRO

No blog em média são mil acessos/mês do mundo inteiro.

E, isso só faz aumentar a nossa responsabilidade com vocês.

Quero agradecer aos amigos de Facebook e redes sociais

Tenho certeza que a maioria de vocês tem um grande apreço pelo nosso trabalho, muito embora nem sempre consiga agradar a todos.

Aliás, não posso deixar de agradecer aquela meia dúzia da “FCORJA” de seis que pegam pesado e que usam de todos os artifícios sujos, pois sem eles eu não conseguiria chegar tão longe. me motivaram e me motivam a continuar cada vez mais com KORFEBOL BRASILEIRO (lol)

Afinal, toda unanimidade é burra.

Agora, o bom mesmo é poder acordar com a consciência tranqüila do dever cumprido.

E, disso vocês podem ter certeza.

Obrigado a todos que por um motivo ou por outro vem ao blog e e ao facebook diariamente ou semanalmente me dar este apoio.

Obrigado ao meu filho Miguel que em breve estará jogando e ajudando nessa missão chamada “KORFEBOL BRASILEIRO”

a TODOS os amigos que mesmo a distancia continuam torcendo por mim.

E, um obrigado especial ao meu Deus todo poderoso por tudo de bom que ele tem me proporcionado ao longo desses 16 anos

Se Deus quiser – e ele há de querer – ” TEM QUE QUERER

daqui a 12 meses vou novamente estar aqui agradecendo a vocês e a ele.

OBRIGADO

MARCELO KORFEBOL

Educação Física – Esportes Alternativos – Participe

ABRAKO 1

Olá amigos do KORFEBOL BRASILEIRO !

Saudações.
 
Gostaria de convidar a todos para participarem da pesquisa do KORFEBOL BRASILEIRO, que estamos desenvolvendo sobre a orientação do Professor Marcelo Soares, mais conhecido como “Marcelo Korfebol”
 
O objetivo da pesquisa é caracterizar as pessoas que conhecem o korfebol brasileiro e fazer um paralelo da Educação Física escolar, com os Esportes cooperativos Esportes competitivos (tradicionais) e Esportes Alternativos (Desconhecidos da nossa cultura).
 
Link da Pesquisa
 
Estaremos realizando encontros, torneios, cursos e palestras.
Professor Marcelo Soares está desenvolvendo diversas formas de se jogar Korfebol brasileiro, para que o esporte se torne cada vez mais acessível a todos.
 
Na certeza de poder contar com sua contribuição participando de nossa pesquisa, nos despedimos.
FORTE ABRAÇO
KORFEBOL BRASILEIRO.
“TEM QUE QUERER”

 

Professor de Educação Física – Texto Elisa Kim

Ótimo texto!!!

“….Os professores de educação física são os mais bacanas, legais, gostosos e bonitos. As melhores bundas, coxas e peitos do mercado são deles. Os professores de educação física têm boa postura e nunca ficam corcundinhas como nós. Eles têm o passo firme, falam com confiança e sempre acham que a gente está fazendo alguma coisa errada, ou muito devagar, ou muito rápido, ou muito pra frente, ou muito pra trás. É verdade que os exercícios que eles fazem sempre saem do jeito que nós gostaríamos que saíssem os nossos, com os pesos e movimentos que nunca conseguimos. Dizem que os professores de educação física se divertem o dia inteiro nas piscinas e academias e que o trabalho deles é moleza. Mas eles têm que acordar muito cedo, e sorrir muito cedo, e pular muito cedo, e deixar todo mundo animado muito cedo… eles trabalham duro e bastante. Dizem também que os professores de educação física não têm nada na cabeça e escolheram essa profissão porque não gostam de estudar. Porém, eles conhecem todos os músculos e sabem o que temos que fazer pra eles não despencarem e continuarem fortes. Mas isso as pessoas só descobrem com o tempo e a necessidade. Um dia, os engenheiros, os advogados, os publicitários, os médicos, os artistas, os jornalistas, os bancários, os empresários, os balconistas, passam mal e ouvem que se não fizerem alguma atividade física estão “fudidos”. Então eles percebem que mesmo sabendo tanto sobre outras coisas, não sabem quase nada sobre seu corpo. É essa hora que entra o professor de educação física e diz:

– Vamos lá !!!
– Tá no fim, não desiste!!
– Você consegue!!!

E você, por absoluta falta de opção, acredita nele. E, por incrível que pareça você acaba conseguindo mesmo. Ninguém melhor do que esse otimista incansável pra dar segurança não só para o corpo, mas para a vida. E um dia, tão de repente como você ouviu que precisava se mexer, você escuta que está mais bonito, mais alegre, com uma cara ótima. A atividade física mudou você. Professores de educação física, mesmo quando vocês fazem aquela cara de prazer vendo a gente sofrer, mesmo quando gritam, mesmo quando são exibidos, quando são exigentes e chatos demais, eu continuo gostando de vocês. Quero que saibam que fazem a minha vida melhor, mais divertida e feliz. ”
– Elisa Kim –

 

DICA DE LIVRO: INFÃNCIA E PSICOMOTRICIDADE – FÁTIMA ALVES

WEB_Capa_Infancia-e-Psicomotricidade

 

Autora: Fátima Alves

Formato: 14x21cm

228 páginas

Resumo:

Este livro é uma revelação, ressalta a Psicomotricidade como o saber, fala da sabedoria humana que leva ao aprendizado do conhecimento, do comportamento e das atitudes de cada ser, tornando-o integral. Não é uma Odisseia nem uma Epopeia, no sentido de contar a história da Psicomotricidade apenas, mas mostrará que a Psicomotricidade contribui para o processo ensino-aprendizagem, levando a criança ao desenvolvimento, ao aperfeiçoamento das ações por meio da tríade – motor, cognitivo e afetivo. Também fará compreender e conhecer o que é a Pedagogia do Corpo, o movimento e quais são as conexões entre a Pedagogia e o movimento por meio do corpo.

É mesmo uma revelação, pois Fátima Alves escreve este livro com as duas mãos, o coração, a mente, o sangue, dando a dimensão de cada ação e expressão corporal da criança para ela perceber e se conscientizar de que é de fundamental importância trabalhar com o corpo na escola, sem necessariamente ser trabalhado apenas na aula de Educação Física. Ela mostra a contribuição e importância do educador físico junto com o educador de sala de aula que, com a Psicomotricidade, irá levar a criança a se desenvolver com mais precisão e, dessa forma, a fará construir meios resultando na organização de pensamento e raciocínio.

Currículo da autora:

Fátima Alves

Fonoaudióloga. Socioterapeuta Ramain-Thiers. Psicomotricista titulada pela SBP. Mestre em Ensino de Ciências da Saúde e do Ambiente. Docente da Pós-graduação presencial e da Licenciatura a distância em Pedagogia da AVM Faculdade Integrada. Orientadora de monografia dos cursos de Psicomotricidade e Arteterapia da AVM Faculdade Integrada. Professora Convidada dos cursos de pós-graduação em Psicopedagogia e Educação Inclusiva da FAMESP. Professora convidada na formação em Arteterapia no Ateliê de Marise Piloto. Docente e orientadora de TCC da Laureate International Universities IBMR Centro Universitário. Presidente da ABP, gestão 2008 a 2010. Autora de diversos livros. Participante de eventos nacionais e internacionais em Psicomotricidade e Educação como ministrante em palestras, cursos e workshops. Coordenadora, tutora e professora do Curso Para Entender a Síndrome de Down da GPEC – Educação a Distância – Formação e Aperfeiçoamento.

 Sumário:

Prefácio

Apresentação

Introdução

Parte I – O Corpo e o Movimento na Educação

CAPÍTULO I

Pedagogia do corpo rumo a uma aprendizagem

CAPÍTULO II

Pedagogia do corpo e do movimento na 1a e na 2a Infância

Parte II – O Aprender no Jogo e na Brincadeira

CAPÍTULO III

Jogos e brincadeiras na aprendizagem do aluno (aproximando gerações)

CAPÍTULO IV

A Psicomotricidade na vida da criança em um enfoque Pedagógico

CAPÍTULO V

Desenvolvimento motor da criança

CAPÍTULO VI

Pedagogia e Psicomotricidade: o corpo na Educação Física. O corpo cognitivo

Referências

CCBB – Semana das Conscientização sobre Autismo

12670523_10208338046581625_2339973053900356050_n

Dia 02 de abril é o Dia Mundial da Conscientização Sobre o Autismo. Por isso, o CCBB apresenta uma programação especial até 2 de abril, para quem busca saber mais sobre o assunto.

 

12932845_10208338045701603_1783245441736346125_n

 

PROGRAMAÇÃO

 

Dia 30/03, segunda-feira

>> 13h – Cine debate – “Mary e Max” – Filme seguido de debate com a Dra. Christiane Kanzler, gerente do CAPSi – Plano Piloto – COMPP e com a professora Adriana Alves, diretora do MOAB, mãe de pessoa com Autismo.

Sinopse: Mary Daisy Dinkle (Toni Collette) é uma menina solitária de oito anos, que vive em Melbourne, na Austrália. Max Jerry Horovitz (Philip Seymour Hoffman) tem 44 anos e vive em Nova York. Obeso e também solitário, ele tem Síndrome de Asperger. Mesmo com tamanha distância e a diferença de idade existente entre eles, Mary e Max desenvolvem uma forte amizade, que transcorre de acordo com os altos e baixos da vida.

Classificação Indicativa: 12 anos
Duração: 92 min
Ano: 2009
Diretor: Adam Elliot

15h15 – Sei que vou te amar (Black Balloon),

Sinopse: Thomas Mollison é um jovem de 16 anos que quer apenas ter uma vida normal. Seu irmão mais velho, Charlie, tem autismo e TDAH e o funcionamento de toda sua família gira em torno de lhe oferecer um ambiente de vida seguro. Ao se mudar para uma nova casa e uma nova escola, Thomas conhece Jackie Masters e começa a se apaixonar por ela. Quando sua mãe fica confinada à cama devido à gravidez, Thomas então deve assumir a responsabilidade de cuidar de seu irmão, o que pode custar a sua relação com Jackie, especialmente quando isso desencadeia um violento confronto na família em sua festa de aniversário, que leva o garoto a uma viagem emocional repleta de frustrações e angústias.

11139961_10208338043861557_8264090006300067867_n

Classificação Indicativa: 12 anos
Duração: 96 min
Ano: 2008
Diretor: Elissa Down

17h – “Temple Grandin”
Sinopse: Cinebiografia da jovem autista Temple Grandin (Claire Danes) que tinha sua maneira particular de ver o mundo, se distanciou dos humanos, mas chegou a conseguir, entre outras conquistas, defender seu doutorado. Com uma percepção de vida totalmente diferenciada, dedicou-se aos animais e revolucionou os métodos de manejo do gado com técnicas que surpreenderam experientes criadores e ajudaram a indústria da pecuária americana.

Classificação Indicativa: Livre
Duração: 107 min
Ano: 2010
Diretor: Mick Jackson

19h – Palestra “Autismo: um mundo a descobrir”

Com a professora Márcia Cristina Lima Pereira – Psicopedagoga – Mestre em Psicologia com o tema autismo e inclusão escolar – Voluntária do Movimento Orgulho Autista Brasil – Atual chefe do núcleo de TGD da Secretaria de Educação do DF.
Local: Cinema.

21h – “Adam”
Sinopse: Começando uma nova vida agora solteira e em novo endereço, Beth (Rose Byrne) se surpreende ao conhecer Adam (Hugh Dancy), vizinho com síndrome de Asperger. Brilhantes, opostos e atraídos um pelo outro, eles encaram o desafio, superam as diferenças e os medos e iniciam uma bela relação.

12472455_10208338042861532_313252251856187172_n

Classificação Indicativa: 12 anos
Duração: 99 min
Ano: 2009
Diretor: Max Mayer

 

Dia 01/04, quarta-feira

>> 19h – Fashion Inclusivo

Desfile de moda de crianças e jovens com diversas deficiências. O projeto Fashion Inclusivo tem a intenção de divulgar a capacidade das pessoas com deficiência através de desfiles de moda, incentivando a socialização e melhorando a confiança e a autoestima dos mesmos pela inclusão social, envolvendo a escola, a família e a comunidade.
Local: Vão central

12512740_10208338044621576_6788225142980217389_n

 

Dia 02/04, quinta-feira

>> 10h e 17h – Visita Mediada para público espontâneo, com foco nas famílias com autistas

Para a Semana de Conscientização do Autismo, o CCBB Educativo elaborou um roteiro especial para as visitas mediadas. Os grupos à galeria, teatro e cinema, acompanhados de material de apoio tátil para a mediação. Uma visita com foco na interação, reconhecimento e acessibilidade.
Início: Vão central

>> 11h e 15h – Em Cantos e Contos

Nesta atividade, usa-se o faz de conta para que o visitante possa ter um novo olhar sobre as exposições em cartaz. Os educadores utilizam bonecos, objetos cotidianos e músicas para apresentar contos e histórias populares.
Local: Sala do CCBB Educativo

>> 13h – Livro Vivo

Primeiras viagens que fazemos pelas páginas de um livro são acompanhadas de um leitor experiente. Essa atividade propõe uma leitura coletiva, desdobrando imagens e interpretações de livros que dialogam com a exposição em cartaz.
Local: Sala do CCBB Educativo

12670363_10208338043181540_3870210594008280412_n

>> 14h – Musicando

É um laboratório de experimentações sonoras. A intenção da atividade é ampliar a percepção auditiva dos participantes e encorajá-los a ouvir e pensar sons e músicas de maneira mais ampla. Para participar, não é necessário saber tocar um instrumento ou cantar como um profissional.
Local: Sala do CCBB Educativo

>> 9h às 18h – Oficina de arte para pessoas com deficiências

Com o professor Carlos, voluntário da APABB – Associação de Pais, Amigos e Pessoas com Deficiência, de Funcionários do Banco do Brasil e da Comunidade.
Local: Sala Multiuso

Apoiadores do evento 

APABB – Associação de Pais, Amigos e Pessoas com Deficiência, de Funcionários do Banco do Brasil e da Comunidade
MOAB – Movimento Orgulho Autista Brasil
GEPES DF – Gestão de Pessoas do Banco do Brasil