A Importância da Educação Física Escolar na formação do aluno

Participei da gravação da matéria realizada para o programa de Bem com a vida Rede bandeirantes, com o colega de Profissão Professor Rogério Dias, no Colégio Sagrado Coração de Maria Copacabana – Rio de Janeiro

Famoso na web por gols de falta de calcanhar desafia Juninho no Maraca

Francisco Gomes Rodrigues se especializou em balançar as redes desta forma. Até outubro, o cearense conhecido como Neno já tinha anotado cinco gols na sua lista

Por GloboEsporte.comRio de Janeiro, RJ

Neno e Juninho Pernambucano, EE (Foto: Gustavo Serra / Esporte Espetacular)Neno conhece Juninho e arrisca bater faltas de calcanhar no Maraca (Foto: Gustavo Serra / Esporte Espetacular)

Neno é um homem humilde. Em 42 anos de vida, nunca tinha andado de avião, elevador ou escada rolante. Há 20 anos, seu voo mais alto foi se dedicar a cuidar da escolinha de futebol da região. Pelas suas mãos calejadas de tanto pegar na enxada, fazer carvão e construir casas já passaram mais de dois mil meninos.

– É o que eu posso fazer pela minha comunidade. Isso aqui é aula de vida, o que eu passo pra eles aqui é minha dedicação, é grande – afirma Neno.

Neno é um professor amado pelos alunos. Porém, extremamente rigoroso. E foi deste rigor que surgiu o gol de calcanhar.

– Eles começaram a bater falta, iam errando, errando… Aí, eu disse assim: “eu vou ensinar a vocês como se bate uma falta”, mas eu me preparei com medo, mas quando eu bati deu certo – relembra o professor.

Neno Calcanhar, Esporte Espetacular (Foto: Gustavo Serra / Esporte Espetacular)Neno ficou famoso nas redes sociais por marcar gols de falta de calcanhar (Foto: Gustavo Serra / Esporte Espetacular)

O professor se tornou um especialista em cobranças de falta de calcanhar. O vídeo do gol virou fenômeno na internet batendo a marca de 13 milhões de visualizações, construindo o caminho de Neno até o Maracanã. No estádio, ele era o astro. Passeou pelos vestiários, viu de perto a camisa de Messi e ensinou Juninho Pernambucano a cobrar faltas de calcanhar.

– A técnica tem que ser a concentração primeiro. Quando eu saía um pouquinho, era como se eu tivesse certeza que não ia sair o chute. Impressionante como é da cabeça que você sabe fazer. Se concentrar só na batida da bola e não ficar muito distante, não botar o pé muito distante, dar uma olhadinha para o goleiro ali e chute – ensina.

A lição que fica é que com um pouquinho de imaginação, é possível dar um chute de calcanhar num campinho esburacado em São Gonçalo do Amarante e comemorar o gol na grama sagrada do Maracanã.

– Representar eles aqui é muito satisfatório, eles não estão aqui, mas só de eu estar aqui, aquela meninada vai ficar feliz demais. Porque eles sabem o que eu passei. Hoje, eu tô aqui no Maracanã. Isso para mim é demais – se emociona Neno.

Tite – Técnico do Corinthians – Valoriza Professor Educação Física

Passei a gostar mais do Técnico Tite simplesmente por essa declaração, O mundo do futebol deveria mudar e ele simplesmente falou o que eu penso com relação ao futebol x Educação Física

assistam o vídeo abaixo

 

 

Memórias de um Gol – momento espetacular do esporte

Ainda me lembro desse gol como se fosse hoje… fiquei rouco durante uma semana, até fiquei preocupado pois, tive medo de ter causado uma grande lesão nas cordas vocais, tamanha era a dor e a dificuldade para poder ingerir alimentos e beber água. A emoção foi forte demais. Sou flamengo até morrer…

petkovic_flamengo

Um gol que jamais sairá dos corações rubro-negros. A bola que passou rente as mãos de Hélton e morreu no fundo das redes vascaínas garantiu o título do tricampeonato flamenguista e um lugar na história para o sérvio Dejan Petkovic. O repórter Thiago Asmar reconta esse momento em todos os detalhes na estreia do quadro “Memórias de um gol”. Ele conversou com o próprio Pet, que não titubeou em repetir o lance e colocar a bola no mesmo lugar; com o técnico do Flamengo na ocasião, o veterano Zagallo; com o lateral Alessandro, hoje dirigente do Corinthians; e com um torcedor que aparece fazendo uma prece na arquibancada.