Artigo: João Batista Freire “O caráter do futebol brasileiro”

 

POR JOÃO BATISTA FREIRE*

Mesmo que não ganhe medalha, a seleção feminina de futebol já deixou ótima impressão. A masculina, ganhando ouro não apagará a má impressão que construiu. É uma questão de caráter. Não me refiro ao caráter deste ou daquele jogador, mas do comportamento da equipe como um todo. O mesmo que mostra, há muito tempo, o futebol brasileiro, um caráter falho, duvidoso. Traço que não apresenta a seleção feminina, até porque as meninas são vítimas dele, como de resto, todos aqueles que procuram manter a dignidade no campo minado do nosso futebol. Há muitos anos o futebol brasileiro desfila num ambiente de imoralidade, com dirigentes presos, procurados, desvios de dinheiro, depósitos em paraísos fiscais, etc. Portanto, dificilmente seremos bem sucedidos ao procurar os defeitos nesta ou naquela atuação da seleção brasileira, neste ou naquele esquema do técnico A ou do técnico B. Há um caráter coletivo falho manifestado, tanto no modo de jogar da seleção e de clubes, como nas declarações de dirigentes, ou na maneira intimidada como técnicos atuam, quase sempre para não perder seus empregos, ou ainda na desenvoltura com que agentes transformam o futebol em mero negócio, sob a complacência suspeita dos dirigentes. Jogadores apenas razoáveis são mimados como crianças e convencidos por seus agentes de que são craques, e raros craques convencidos de que são deuses, só para que suas imagens rendam mais lucros. Nossos dirigentes se supõem acima da lei, e, por algum motivo, escapam das malhas da justiça brasileira, embora sejam procurados em qualquer território fora de nosso país. Não é culpa do Gabriel Jesus, do Neymar ou do Renato Augusto. Não existe alguém para ser culpado. Há uma estrutura podre que alimenta um negócio podre. E, se essa estrutura não fosse podre, os que se alimentam dela morreriam de inanição. Ou seja, dificilmente ela terminará, até porque aqueles que a administram não querem morrer de fome.

*João Batista Freire é professor Livre Docente aposentado da Unicamp, além de ter trabalhado na USP e na Universidade Federal da Paraíba e na Universidade Estadual de Santa Catarina, e autor de diversos livros sobre Educação Física e Esporte.

Tite – Técnico do Corinthians – Valoriza Professor Educação Física

Passei a gostar mais do Técnico Tite simplesmente por essa declaração, O mundo do futebol deveria mudar e ele simplesmente falou o que eu penso com relação ao futebol x Educação Física

assistam o vídeo abaixo