KORFEBOL BRASILEIRO COMPLETA 15 ANOS – DIA 22/10/2015

Você conhece o Korfebol ? ainda não ? Então assista essa matéria com Professor Marcelo Korfebol

Bom dia amigos
22 de outubro de 2015 – KORFEBOL NO BRASIL 15 ANOS

Ola amigos, hoje e um dia especial para mim. Hoje dia 22 de outubro de 2015, comemoro 15 anos de KORFEBOL NO BRASIL.

Nesses 15 anos de trabalho com o esporte houveram acontecimentos que por muitas vezes me fizeram mudar a direção e o planejamento, sempre em busca de um novo caminho, de novas aprendizagens., que me fizeram sempre refletir e ver dois estágios: o antes e o depois. Bem simples.

Aprendi nesses 15 anos que “tem que querer” que temos que ter paixão, por tudo que acreditamos, sempre fui muito apaixonado por minha profissão e pela missão que ela nos destina. Ser professor de Educação Física, e posteriormente trabalhar com o Korfebol, sempre me proporcionou muito prazer. O prazer de ensinar, de dar oportunidades, de tornar pessoas mais felizes dando qualidade de vida e entretenimento.

Nesses 15 anos conheci inúmeras pessoas através do KORFEBOL BRASILEIRO, amizades que ficarão para sempre em minha memória e a minha GRATIDÃO ETERNA. por terem me ajudado a continuar essa missão.

Ainda me lembro a primeira partida de Korfebol realizada no Esporte Clube Valim numa tarde de domingo, com amigos e familiares participando e incentivando a continuar na luta.

Tive o privilégio de poder através do KORFEBOL conhecer e ajudar cadeirantes, autistas, pessoas de terceira idade, com dificuldades motoras, deficientes físicos, conhecer o sistema prisional e todas as comunidades do Rio de Janeiro e lá fazer muitos amigos, sempre divulgando.

Ao longo desses 15 anos, rompemos com a Federação Internacional de Korfball e com Federação Portuguesa de Corfebol, por divergência de metodologia e também por não fazer parte do “mundo competitivo” que as duas entidades sonham em tornar o esporte. Adotamos a linha Educacional e cooperativa e fundamos o KORFEBOL BRASILEIRO COM LETRA K, nada temos mais haver com o Korfball/Corfebol. Em outro momento iremos falar sobre tudo que aconteceu em 2012. E aprendemos que esporte e política são as mesmas coisas, não tem diferença.

Aprendi que o conhecimento cresce ainda mais quando compartilhamos ideias e pensamentos.

Devo admitir que o KORFEBOL BRASILEIRO, mudou o rumo minha vida, no sentido de querer ser mais cooperativo e menos competitivo.

Poder ver o KORFEBOL BRASILEIRO completar 15 anos e realmente muito emocionante.

Obrigado a todas as pessoas que me ajudam e que me ajudaram nesses 15 anos

GRATIDÃO ETERNA

“TEM QUE QUERER”

Foto de Abrako - Associação Brasileira De Korfebol.

Korfebol Brasileiro é diferente do Korfebol praticado no resto do Mundo ?

ABRAKO – Associação de Korfebol Brasileiro.

Não estamos vinculados a Federação Internacional de Korfball (IKF) e nem a Federação Portuguesa de “Corfebol” e nem queremos. Somos uma associação independente formada por professores de educação física, amigos, empresas, e simpatizantes das regras modificadas do Korfball mundial, ou seja, o KORFEBOL BRASILEIRO é diferente de qualquer outro país praticante no resto do mundo.

Confira o texto a seguir e saberão nossos motivos.

PARTE 1

Uma das principais características do KORFEBOL BRASILEIRO é a não permissão de Contato Físico, (como por exemplo, os empurrões e demais jogadas agressivas), enquanto que no resto do mundo, a modalidade é praticada com a permissão do “contato físico moderado”. Para os divulgadores do KORFEBOL BRASILEIRO, esta diferença faz com que o esporte praticado no exterior apresente uma prática desportiva hostil e faz com que o jogo se torne muito feio”, em busca de competição e da formação de “atletas” como objetivo principal deste esporte. Algo que não condiz com a História e a cultura integradora e hospitaleira do povo brasileiro.

Por isso, foi criada a ABRAKO – Associação de Korfebol Brasileiro, que atualmente é totalmente independente da Federação Internacional de Korfball, da qual esteve vinculada até 2012, quando então ocorreu uma “virada de mesa” por parte de um grupo de “ex alunos” do professor Marcelo Soares que se aliou a um grupo de dissidentes em São Paulo, que se sentiam deslocados do trabalho focado nas questões sócio-educacionais que o professor Marcelo Soares sempre praticou.

Foto de Abrako - Associação Brasileira De Korfebol.

BRAKO – Associação de Korfebol Brasileiro

Confira a segunda parte do texto que conta um pouco da verdadeira história do KORFEBOL BRASILEIRO E DA ABRAKO

Parte 2

Estes grupos resolveram se mancomunar com a entidade que dirige o esporte e também e também com representantes da Federação Portuguesa de Corfebol, numa tentativa desesperada de retirar o Professor Marcelo Soares, da “Representatividade do Korfball” no Brasil.

Porém, quem conhece pessoalmente o trabalho desenvolvido (desde 1998) por Soares, sabe que ele não desiste tão fácil, inclusive, comenta em suas palestras, que está até mais motivado para divulgar o Jogo em todo território nacional, sem a preocupação de realizar campeonatos e livre dessa política pequena de empenhar recursos e tempo apenas na formação atletas e fazer o jogo ser desporto olímpico.

O esporte como uma ferramenta de construção de cidadania e afirmação cultural é o grande eixo fundatório do KORFEBOL BRASILEIRO, este, muito mais alinhado aos princípios de integração e participação de todos, tal qual o Professor Nico Broekhuysen ensinou e em 1902 na Holanda.

Foto de Abrako - Associação Brasileira De Korfebol.

Professor Marcelo Korfebol visita a feira de Esportes – Rio Sport Show

Para atender às necessidades de consumidores cada vez mais exigentes, o mercado do esporte, fitness e bem estar vem se ajustando à grande diversificação de modalidades de exercícios físicos gerando uma demanda que exige das academias e estabelecimentos esportivos um maior profissionalismo e dedicação em quesitos como: atendimento, gestão, marketing e retenção.

Mais competitivo e inovador, o setor de academias começa a se expandir, também, em outros estabelecimentos como: clubes, hotéis, condomínios, escolas, associações esportivas e até mesmo em empresas de médio e grande porte que incluem na rotina dos funcionários a prática de atividades físicas como prevenção às doenças futuras, gerando um maior bem estar e assim, maior produtividade no ambiente de trabalho.

Para garantir esta atualização e estimular negócios, a Rio Sports Show, em sua 17ª edição, é o evento ideal para sua empresa investir, porque a feira reúne os principais fabricantes e importadores de equipamentos de musculação, acessórios de ginástica, acessórios de natação/hidroginástica, softwares de acesso, pisos esportivos, climatização, editoras especializadas, confecção e calçados esportivos para um público seleto de proprietários e coordenadores de academias, clubes, spas, hotéis, incorporadoras, condomínios, centros de reabilitação e fisioterapia, personal trainers, alunos e professores de educação física, além de investidores e adeptos à prática de atividades esportivas.

Consolidada como a maior e uma das mais importantes feiras de esporte, fitness e bem estar do Brasil, a Rio Sports Show alavanca o setor e mostra a força do Rio de Janeiro como um pólo fomentador de novas tendências para todo o o país. Com empresas e instituições de renome nacional e mundial, a feira cria uma atmosfera de intercâmbio tecnológico, apresentando o que há de mais moderno em equipamentos, produtos e serviços para a indústria, suscitando grandes negócios.

Reunindo toda a cadeia produtiva do esporte, fitness e bem estar, a Rio Sports Show proporciona excelentes oportunidades de relacionamento comercial com compradores, profissionais técnicos, formadores de opinião e executivos com alto poder de decisão. Um verdadeiro salão de negócios!

A meta da Rio Sports Show é ser um instrumento de negócios e reciclagem profissional, contribuindo para o crescimento e evolução do mercado esportivo em todo o Brasil.

MARCELO KORFEBOL NA FEIRA RIO SPORTS SHOW

Aproveitando as férias de Julho no Brasil, estivemos participando da feira de esportes Rio Sport Show. Uma grande oportunidade de fazer novos contatos e reencontramos amigos que apoiam o NOVO KORFEBOL BRASILEIRO.

Professor Thiago Medeiros, grande amigo ex presidente do “Crefinho” no Rio de Janeiro.

Arley Savaget organizador do Evento RIo Sport Show

Casal de amigos da Universidade Castelo Branco – Graduação – Luciane Barja e Lauro Ivo Jr.
Recentemente estivemos na UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ campus R9 à convite do amigo Professor Lauro Ivo Jr.

Presença na Estacio R9 – Taquara – RIo de Janeiro

André Ferraz – Professor de Educação Física – Atua na Região do Grande Méier – no Conselhor Regional administrativos. Parceiro do KORFEBOL BRASILEIRO.

Revista do Empresario – Stand do amigo Leo Alevato

Fun page do Esporte Korfebol no Brasil atinge a marca de 1200 curtidas.

cats

a Fã Page do Korfebol brasileiro, esporte que eu divulgo desde 1998, atingiu a marca de 1200 curtidas, sendo que em 19/07/2015 estava com 942 curtidas. O que é uma grande vitória de nosso trabalho em divulgar o esporte que cada vez mais se torna educacional e porque não afirmar brasileiro.

Se você ainda não conhece a fã page do KORFEBOL BRASILEIRO click no link abaixo e confira seja fã também

https://www.facebook.com/associacaobrasileirakorfebol?ref=hl

Queremos agradecer cada um dos fãs da página que acreditam no nosso trabalho, e que irão em breve poder praticar o KORFEBOL, aguardem as surpresas que estamos preparando. O segundo semestre de 2015 promete ser um grande para o projeto.

Ao longo desses 15 anos de trabalho com o KORFEBOL BRASILEIRO E 2 anos de existência dessa página temos buscado ao máximo atender da melhor forma nossos internautas, amigos pessoais, fãs e apreciadores do KORFEBOL.

Diariamente publicamos os mais variados conteúdos,Desde variedades política, esporte, matérias esportivas, cotidianos e música, bastidores de eventos e outros.

Não faltam opções para manter nossos internautas bem informados. deixando nosso público bem informado de tudo que acontece em torno do KORFEBOL BRASILEIRO e de esportes alternativos

No último domingo dia 19 de julho de 2015 , ultrapassamos a marca de 1.000 curtidas na nossa Fan Page no Facebook.

Para alguns pode até parecer pouco, mas para quem trabalha com seriedade e respeito com o público, num espaço cada vez mais competitivo, esses são números mais que significativos.

Essa marca não serve apenas para reafirmar nossa credibilidade, como também nos incentiva cada vez mais a continuar com nossa missão de levar o KORFEBOL BRASILEIRO a todos os cantos desse universo chamado internet e mostrar a magia desse esporte, sem a preocupação de estarmos formando “ATLETAS” ou de participar de Campeonatos Mundiais como queria a Federação Internacional de Korfebol (IKF) e Federação Portuguesa de Corfebol, do qual a ABRAKO se desligou em 2012, por divergências de linha pedagógica e de pensamento.

Temos a certeza que essa é apenas mais uma das conquistas que ainda virão. Tudo isso graças a cada um de vocês, que ao longo do dia dedicam um pouco do valioso tempo para acessar nossa página.

Se você ainda não curtiu, vá lá! Curta e faça parte dessa família que cresce a cada dia.

O MEU MUITO OBRIGADO A TODOS

“TEM QUE QUERER”

KORFEBOL BRASILEIRO

Aguardem !!!

Korfebol – “O Jogo dos gêneros” acontece também em Petrópolis – Rio de Janeiro

KORFEBOL EM PETRÓPOLIS

KORFEBOL EM PETRÓPOLIS
Importante ressaltar o trabalho do Professor Leandro Azevedo em Petrópolis que mesmo com dificuldades continua realizando belo trabalho em prol do esporte e do Jogo.

Korfebol – Jogo dos gêneros.

Infelizmente não temos nenhum tipo de apoio para o crescimento de uma modalidade de grande valia para a educação física escolar, por unir meninas e meninos no mesmo jogo. Por ter regras que auxiliam na formação destes alunos em várias questões.

Mas, continuamos como o amigo Marcello Korfebol que mesmo depois de muitas pancadas continua na luta.

O meu muito obrigado aos amigos que caminharam ao meu lado, aos amigos que proporcionaram uma participação de nossa equipe no único Brasileiro da Modalidade quando ainda o korfebol seguia sua proposta original.
Leandro Azevedo II Eduardo Santos Perera Epk Korfebol Danielle Monteiro Mariana Monteiro Matheus Monteiro Neuziene Silva Vanessa Mazzini O. Soares Bruna Han Rhanan Rosa Jefferson Marques Emanuel Monteiro Mateus Côrtes Bruno Cardim Ingrid Futuroso Lucas Mello José Vitor Baptista.

Luto na Educação Física Brasileira: Perdemos Célio Cordeiro uma referência nacional

O KORFEBOL BRASILEIRO DE LUTO

Perdemos no dia 30 de maio de 2015 um dos ícones da Educação Física Escolar, o grande Mestre Célio Cordeiro.

Conheci mestre Célio Cordeiro, ainda na faculdade ao ler seus artigos, sua história junto ao Voleibol brasileiro.

Em 1998 estive palestrando na Universidade Estácio de Sá, e conheci mestre Célio Cordeiro ainda no gabinete do Coordenador Marcelo Costa. Na semana seguinte, retornei a Universidade Estácio de Sá para palestrar, e fui convidado pelo Mestre Célio Cordeiro, para também palestrar na turma do professor Mestre Célio Cordeiro, e para minha surpresa um dos presentes era o atual técnico de vólei da seleção brasileira o “Bernardinho”.

Coloco aqui a foto que tirei com Mestre Célio Cordeiro em 1998.

Célio Cordeiro e Korfebol

Ele gostou muito do Korfebol brasileiro, ainda mais na parte prática, me dando algumas sugestões para tornar o jogo ainda mais acessível a todos.

Obrigado Mestre Célio pelos ensinamentos e pela oportunidade

Reencontrei o Mestre Célio Cordeiro, em 2013, onde pude novamente agradecer todos os ensinamentos, tivemos uma longa conversa, inclusive, pude prestar homenagem ao Mestre. E ainda brinquei: “MeCélio Cordeirostre quando eu crescer quero ser como você”, e ele riu bastante dizendo, você não muda rapaz… continua o mesmo brincalhão, tenho acompanhado sua luta e seu empenho pelo Korfebol brasileiro. Você é 10…

Me lembro de suas palavras como se fosse hoje.

Agradecimento especial ao professor Patrick Mattza que nos proporcionou o reencontro com Mestre Célio Cordeiro, onde fomos convidados a participar da disciplina Tópicos Especiais, onde podemos apresentar o NOVO KORFEBOL BRASILEIRO.

Célio Cordeiro e Korfebol

2013-10-11 21.27.51 2013-10-11 21.27.55 2013-10-11 21.28.05 2013-10-11 21.28.09

Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro promove Semana de Extensão

ABERTURA DA SEMANEX

A Semanex, Semana de Extensão do IFRJ, deu início à sua primeira edição no dia 19 de maio, no campus Nilópolis. Organizada pela Pró-Reitoria de Extensão, o evento teve como tema as Políticas de Extensão e Produção de Conhecimento.

IMG_1271

Para a primeira atividade, os professores Pablo da Cunha (campus Pinheiral), Thiago Ponce (campus Maracanã), João Guerreiro (campus Nilópolis), a Coordenadora Geral de Formação Inicial e Continuada da Pró-reitoria de Extensão, Amanda Carlou; e a Pró-reitora Adjunta de Extensão, Neli de Almeida, apresentaram o Plano de Arte e Cultura do IFRJ, discorrendo sobre o Programa Mais Cultura nas Universidades.

João Guerreiro conta que ter um plano de cultura foi essencial para o IFRJ pois criou uma meta a ser cumprida, e que isso é bom tanto para o curso de Produção Cultural como para todos os outros cursos, unindo as áreas de ensino. O professor de arte, Pablo da Cunha, relembra que com o surgimento de uma nova rotina de conteúdos no campus, brotou a vontade de implementar um curso superior de produção cultural para o Sul Fluminense, e por isso, aproximaram-se do campus Nilópolis.

Pablo também comenta que um grande erro cometido pelas instituições de ensino é não ver as atividades de extensão como pesquisa. “No momento em que houve uma aproximação das universidades, começou a ser atribuído um caráter de pesquisa, mas antes não tinha. A criação do plano de cultura é excelente, mas também é importante criar uma política de valorização da extensão no IFRJ, independente de editais ”- explica.
O professor de Inglês e também responsável pela área de literatura e poesia do campus Maracanã, Thiago Ponce, frisa que a ação de maior importância é tomar ciência do que está sendo feito nos diversos campi do IFRJ, estimulando uma troca. “Precisamos trazer a arte para um âmbito de maior seriedade, e não colocá-la como uma parte complementar, dentro de um evento acadêmico”. Aproveitando, Thiago também explica o projeto de escrita criativa “Travessias Poéticas”, que foi criado em razão da carência da escrita e de manifestação de sentimentos, gerando uma memória para todas as produções artísticas, seja ela música, cinema, dança, teatro, entre outros.

Outro ponto discutido na primeira atividade foi a criação de revistas para os campi, onde pudessem ser postados trabalhos de alunos e servidores, e que, de preferência, tivessem alcance nacional e não só interno. “As artes, dentro do âmbito acadêmico, ainda são uma lacuna a ser preenchida. A criação de um periódico seria eficiente na troca de conhecimento e poderia contemplar tanto o ensino, como a pesquisa e extensão” – finaliza Thiago.

IFRJ NILOPOLIS SEMANEX

Amanda, por meio de uma apresentação digital, mostrou o desenvolvimento nos campi e orgulha-se em dizer que esse portfolio é um trabalho de todos os professores. Neli completa dizendo que o plano tem como objetivo principal a criação de um polo de arte para todos, fazendo que haja um apoio mútuo.

Na solenidade de abertura estiveram presentes o e o reitor do IFRJ, Paulo Assis , o diretor-geral do campus Nilópolis, Wallace Vallory e a pró-reitora de Extensão, Ana Beja.

O reitor Paulo Assis agradeceu à professora Ana Beja, a CoIEE do campus Nilópolis e a todos os servidores da instituição que colaboraram com a realização da Semanex. Ressaltou também as realizações pela ProExt no plano da arte, cultura e empregabilidade – com a feira de oportunidades e estágio – e que estreitar as relações da comunidade com os projetos de extensão é uma ação trabalhosa, mas que deve ser priorizada pela instituição.

Do mesmo modo, Wallace Vallory deu as boas-vindas a todos os professores e alunos de outros campi e enfatizou a importância do evento no alicerce do tripé educacional – ensino, pesquisa e extensão, para que todos possam aprender e contribuir com a sociedade.

IMG_1281 (1)

Ana Beja conta que o campus Nilópolis foi escolhido por ser o mais central e por possuir uma acessibilidade para cadeirantes, por exemplo, que nem todos os campi possuem, e que o evento reúne pessoas de diversos lugares do Brasil, contribuindo para a troca de experiências e provocando os alunos a participarem de novos projetos. “É um privilégio organizar um evento desse porte, com profissionais do IF de Brasília, Goiás, Rio Grande do Sul, e poder democratizá-lo para que todos tenham acesso. Ver o pessoal da robótica, a banda, os projetos de inserção social e políticas de inclusão só tem a acrescentar na formação”, diz.

Retomando discussões da primeira apresentação, a professora Elaine Monteiro, da Universidade Federal Fluminense (UFF), falou sobre a separação da pesquisa e extensão e sua desvalorização, na palestra “Extensão e produção de conhecimento”. Elaine também discorreu pelo tema da ampliação do acesso ao ensino superior, das políticas de ações afirmativas e do papel dos discentes junto às escolas e suas produções. Além disso, a professora exibiu parte de um documentário sobre o jongo e afirmou a importância da legitimação de quaisquer manifestações culturais e do “tratamento humano” que os participantes e entrevistados devem receber. “Tem muita gente que vai fazer documentário sobre alguma arte e depois nunca apresenta às pessoas envolvidas naquilo, às pessoas que realmente importam. É preciso entender que elas são sujeitos, e não objetos de pesquisa. Eles são os co-autores da obra”, completa.

IMG_1319_0

O momento de descontração ficou por conta da apresentação da banda de professores e alunos do campus Duque de Caxias, que animaram a todos na quadra do campus com hits da música brasileira. Ainda neste momento, a aluna Julia Frauches, do 5º período de Controle Ambiental, campus Nilópolis, foi convidada a juntar-se à banda e soltou a voz com canções como “Wrecking Ball” da cantora norte-americana Miley Cyrus.

Durante o dia, alunos do curso de Automação do campus Volta Redonda expuseram seus trabalhos. Em 2009, por conta do envolvimento em Iniciação Cientifica, o coordenador do curso de automação industrial, Helton Sereno, juntamente com a coordenadora do curso de Eletrotécnica, Monique Pacheco, fundamentaram a ideia de uma equipe de robótica no campus, a Equipe Jaguar, atualmente, campeã mundial na categoria Dance Secondary.

A equipe expôs trabalhos feitos pelos alunos, como robôs de demonstração, inicialmente usados para uma exposição em Brasília. Esses robôs possuem bexigas em cima e são coordenados por controle remoto. Expuseram também “droides”, semelhantes ao usado na novela global “Morde e Assopra”, comprados e programados pelos alunos de automação para a competição de dança.

Dentre as sessões orais destacamos a apresentada pela prof. Vera Lúcia Rangel de Souza (IFRJ), “Catadores de material reciclável; um olhar sobre a perspectiva social, profissional e humana”; Annie Ramos, Meire Mércia, Bárbara Oliveira, “Brisa literária: produção cultural e literatura na biblioteca do IFRJ, campus Nilópolis”; Jupter Martins de Abreu Júnior, “Apontamentos sobre as atividades extensionistas envolvendo o projeto de música e Inclusão Social no bairro de sarapuí/DC; e alunos do curso de automação do campus Volta Redonda, “Equipe Jaguar: atividade extensionista”.

IMG_3235

Simultaneamente, na quadra estava, os professores Cleando Rodrigues e Abner Coelho ministravam a I Oficina de jogos Cooperativos, instruindo os alunos no korfebol e freesby, respectivamente. A intenção do projeto, explica o professor Israel, do campus Paracambi, é promover uma maior integração entre os campi, a competitividade é incentivada de forma “saudável”. Junto no projeto estão os professores Edinho, campus Maracanã e ProEx; Leandro e Ana Beatriz, Duque de Caxias; Gabriel, Pinheiral; Edson Farret e Ingrid, São Gonçalo.

Fã page do Esporte alternativo Korfebol chega a marca de 900 curtidas

900 curtidas face

1000-curtidas-vert

https://www.facebook.com/associacaobrasileirakorfebol?ref=hl

Ola galera essa semana chegamos a marca de 900 curtidas em nossa fã page. Peço que divulguem nosso trabalho que é diferenciado em todo o mundo do Korfebol para que possamos chegar as 1000 curtidas ainda esse ano.

Internacionalmente e até nacionalmente a modalidade segue uma filosofia competitiva que exclui formando “atletas” para serem “cilindrados”, conforme a imprensa portuguesa noticia. Não temos mais nada haver com a Federação internacional de Korfball ou a Federação Portuguesa de Corfebol, estamos desvinculados dessas duas entidades, criamos nossa própria entidade a ABRAKO e estamos pautados nas leis desportivas brasileiras, seguindo os princípios do desporto educacional e de participação. O que para muitos pode parecer demérito, para nós da Abrako e uma forma de termos nossa própria “independência” sem ter que dar satisfações a entidades que leval o Korfball/corfebol para o resto do mundo como modalidade “competitiva’ e que acabam excluindo as pessoas que não possuem o perfil de “atleta”.

O Korfebol foi criado em 1902, por Nico Broekhuysen, para realizar a integração de homens e mulheres em igualdade de condições, de lá para cá, o esporte veio se modificando, regras, filosofia, dirigentes que atualmente tentam de todas as maneiras colocar o jogo, no programa Olímpico. O korfball atual nada mais tem haver com a criação de Nico Broekhuysen, o que em nossa opinião é lamentável. O jogo ficou feio, violento e a igualdade de condições foi esquecida em detrimento da “competição”, onde altos e fortes e que tem vez.

Sendo assim, nós da ABRAKO e do NOVO KORFEBOL BRASILEIRO temos outra forma de trabalhar, continuamos promovendo o KORFEBOL DE 1902, incluímos novas regras, ou seja “abrasileiramos” o esporte holandês que infelizmente se tornou um jogo violento.

obrigado-a-todos-900-curtidas-horz